Da tecnologia, (*com amor) precaução!


Os celulares transcenderam a funcionalidade das ligações e multiplicaram seus recursos. Hoje é possível usá-los para os mais diversos fins, desde pesquisa para estudos e trabalho, passatempo, comprinhas on-line, os tão divertidos jogos, e por aí vai. Tudo isso na ponta dos dedos. Tentador, não? A resposta “sim” é imediata, mas calma, nesse artigo abordaremos algumas ciladas desse universo. Atualmente, as pessoas, e principalmente os jovens que nasceram no fim dos anos 90, se mostram os mais dependentes por tecnologia. Se em parte é notável esse entrosamento com o mundo high tech, também é igualmente notável os casos de ansiedade por parte de seus usuários.
Aprenda a dar um freio
E porquê? Bem, a rede está disponível 24 horas. Todos querem atualizar status e, depois, averiguar quem curtiu, comentou ou visualizou. Aplicativos de conversa, como o whatsapp, por exemplo, fazem evaporar as horas do dia com suas mensagens, imagens, vídeos e afins pipocando infinitamente na tela, o que é entontecedor, certamente.
Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) hoje se reconhece o grave e crescente problema da dependência digital. Até a gigante empresa Google percebeu esse mal do mundo recente e pretende tomar medidas para atenuar seus malefícios.
A vida virtual é projetada para, sem os devidos cuidados, seduzir a mente das pessoas. Pode parecer um termo pesado, mas é exatamente por essa razão que a preocupação com seu mau uso tem sido tão debatida por profissionais de saúde. A conectividade parte da premissa mais básica do convívio humano, a necessidade de socialização.
Na mão das crianças
Estudos recentes mostram que crianças têm passado mais tempo com seus Smartfones de que passam com seus pais e família. Mas o convívio familiar é crucial para um desenvolvimento saudável, tanto mental quanto social. Pediatras aconselham sobre a necessidade de estipular um período controlado de uso de aparelhos de celular, e isso, claro, sob supervisão dos adultos.
O estudo ainda expõe que esse excesso está relacionado à 250 por cento de casos de depressão. Esse dado é alto e preocupante. Um passo simples para reeducar os pequenos é oferecer um tempo significante longe da tecnologia. Não se trata de deixar de usar seus recursos, mas aprender a usufruir de todos seus benefícios com inteligência e moderação. Afinal, ver um pôr-do-sol, tomar um sorvete e se exercitar ao ar livre também são hábitos que nunca saem de moda, como a tecnologia.


0 Comentários:

Postar um comentário

Quer adquirir meus livros?

ENTRE EM CONTATO COMIGO